não quero pensar que as pessoas do teatro estão menos disposta que as pessoas do não teatro”

Alaide Rodrigues, uma mulher que tem os seus 50 anos, em uma religiosidade valiosa construiu uma familia seria e trabalhadora. Integra o TEATRO DO MALEIRO com um grande prazer e profissionalismo nas sua obras de costura.
você pode perguntar como chegou a trabalhar junto e o convivio hoje em dia? posso responder que foi por acaso e necessário. -Tinha eu uns bonecos feitos de madeira e precisava fazer as roupas para apresentar em uma escola, conhecia uma figurinista de teatro mais descartou a possibilidade de fazer o trabalho, preocupado tive que passar casa à casa onde estava escrito COSTURA EM GERAL para ver se tinha a possibilidade de contruir as roupas, mais a propaganda era mentirosa e assim fui com a coragem e a ansiedade de ver os "titeres" pronto na certa data.
Os dias foi passando e o dia do trabalho a ser feito aproximava, até que um dia conversando com Stéfanas (teba) compositor de RAP que sempre estamos a conversar dize que sua velha tem o dom da costura e talvez podia fazer a roupa. E filho de peixe, peixinho é...pode até escutar as músicas neste endereço nas suas artes mais recentes… http://profile.myspace.com/index.cfm?fuseaction=user.viewprofile&friendid=42051585
Animado pela noticia fui no outro dia na sua casa, chegando lá... no seu censo critico e engraçada, já foi dizendo “que bonecos feios” e sempre aprendendo a escutar o que as pessoas falam achei que daria muito certo a trabalhar com esta pessoa, tratou-me muito bem! e fui dizendo o que era para fazer, ela sem experiência teatral e que nem sequer vai ao teatro no fim de semana percebi que estava mais enganjada na arte do que a minha pessoa, e isto foi resultando num processo... No outro dia estava pronto as roupas com uma expressividade que os bonecos negava a acompanhar o trabalho.
Hoje somos amigos e gladiadores deste mundo. E habitando o mundo de sujeitos misteriosos, fico com mais firmeza a dizer desta esta mulher, e ver um futuro deslumbrado para construir muito mais.