MARIA BONITA

FOTOS DE LAYZA VASCONCELOS:
https://drive.google.com/drive/folders/0B5ArltYXAwojYTI4R1VpVHBWQTQ
https://drive.google.com/drive/my-drive  (material ficha técnica)


censura: livre
duração 50minutos


FESTIVAIS: 

Festival do boneco Goiânia 2018
6ª Semana de teatro de Goiás 2017
1ª Festin/GO 2017








MAPA DE LUZ 




Ficha técnica
Direção: Marcos Marrom
  
Roteiro:
Leandra Nunes
Marcos Marrom
Gustavo vale
Vânia Marques
      Atores:   
Gustavo Vale
Vânia Marques
      Iluminação:
Rodrigo  Assis Horse
      Criação Figurino atores:
Amilton Duarte
      Figurinos bonecos :
Marcos Marrom
Euler Teodosio
Costureira dos bonecos:
Alaíde Rodrigues
Costureira dos figurinos dos atores :
Marley Gomes de Melo
      Construções dos Bonecos:
Marcos Marrom
Alexandre Bellini
Euler Teodosio Maquete
      Adereços dos Bonecos:
Euler Teodosio Maquete
Marcos Marrom
      Fotos:
Layza Vasconcelos

      Música
Jeferson Leite
Danilo Rosolen
      Interprete de libras:
Lívia Mascarenhas
      Acessória de imprensa
Amanda Costa/Amora Produções
       Design:
Debora Santos
      Produção e realização
Cia. Teatro do Maleiro formas animadas y títeres

Duração 50 minutos /  Censura LIVRE/ 
LUGAR: Palco, Rua ou lugares alternativo 
 Dia da apresentação 5 a 6 pessoas presentes




Sinopse
Maria Bonita "Flor de Mandacaru" é um espetáculo de bonecos de luva que aborda uma parte pouco explorada da vida de Virgulino Ferreira da Silva (Lampião), o rei do Cangaço, retratando seu encontro com a mulher que tornou-se sua musa e companheira, Maria Gomes de Oliveira (Maria Bonita). Tendo o sertão como contexto, Maria Bonita se lança numa épica aventura que a coloca frente-a-frente com a morte, e somente Lampião - como numa armadilha do destino, poderia salvá-la. No decorrer dessa jornada surgem diversos personagens, apimentando ainda mais essa história que mistura ficção e realidade, combinando diversão, aventura e romance.
Release:
A escolha, tanto da linguagem de bonecos de luva que traz uma alusão ao “mamulengo”, quanto do tema histórico-fictício que envolve Lampião e Maria Bonita, justifica-se pela importância de se construir movimentos de resistência que impeçam a extinção de nossas tradições, de nossas raízes. A valorização da cultura popular representa o esforço de preservação da história de um grupo, de um povo, de uma sociedade. Conhecer e valorizar nossas regionalidades, nossas singularidades culturais, constitui-se como um movimento de constante construção e afirmação de nossas identidades.

Comentários

Postagens mais visitadas